Carta Aberta de um Amigo ao Presidente da Câmara Municipal de Vila Real

É público que sou militante do Partido Social Democrata mas em 2013 escrevi um texto em que assumi publicamente que se votasse em Vila Real votaria convictamente no meu amigo Rui Santos para presidente da Câmara. Não sabia se seria eleito mas tinha a forte convicção que seria a pessoa mais empenhada, mais competente e mais capaz para dar um novo rumo a Vila Real. Penso que não me enganei. Hoje voltaria a fazê-lo da mesma forma convicta.

Ontem tiveram início as obras de requalificação da principal avenida da cidade. Este tipo de obras nunca são consensuais mas as cidades têm que se modernizarem respeitando a sua identidade acompanhando as exigências dos novos tempos.

Será que as pessoas ainda se recordam como eram Times Square, em NYC, os Campos Elíseos, em Paris ou Trafalgar Square, em Londres? Talvez não mas todas foram alvo de processos de requalificação polémicos não perdendo o seu lado simbólico reforçando até a sua identidade no mundo.

Ontem foi um dia duro para mim ao ver um Amigo ser insultado de forma injusta, vil e cobarde nas redes sociais apenas por ter assumido corajosamente o início das obras de requalificação da Avenida Carvalho Araújo, em Vila Real.

Os insultos gratuitos são a arma dos cobardes e dos fracos quando já não têm argumentos intelectualmente honestos sendo que outras vezes não mais que evidenciam os ódios e as vinganças de pessoas mal resolvidas que nunca conseguirão ultrapassar as suas frustrações.

Meu querido Amigo Rui és muito superior a este tipo de gente. Por muito que lhes custe vamos ter uma cidade de Vila Real antes e depois de Rui Santos.

Nunca abdiques das tuas convicções.

Peço-te que continues sempre igual a ti próprio na tua simplicidade e no amor genuíno que sentes pela tua terra.

Estou convicto que deixarás a tua marca indelével na cidade para várias gerações.

Ontem os que te insultaram sem dó, nem piedade, que se esqueceram que tens Família e uma filha ainda criança, serão os primeiros a reconhecer a mais valia que esta obra terá para o futuro de Vila Real.

Orgulho genuíno em ser teu Amigo.

Paulo Vieira da Silva

Gestor de Empresas / Licenciado em Ciências Sociais – área de Sociologia

(Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico)

Gosto(49)Não Gosto(13)

One Comment

  1. Praticou-se mais um CRIME AMBIENTAL GRAVE na cidade com o abate das árvores da avenida Carvalho Araújo, acrescentando muitas outras pela cidade. Vila Real vive fora do tempo, os problemas actuais não dizem respeito à cidade, estão todos a salvo da poluição atmosférica e das radiações solares, daí que as árvores aparentam estar "fora da vida útil" apesar de todas as primaveras rebentarem e florirem! Vai-se praticar outro crime igualmente grave, um CRIME PATRIMONIAL com a destruição da calçada portuguesa que embeleza a arquitectura do jardim público que é a própria avenida! Ambos os crimes vão sair impunes e os seus responsáveis que já assinaram a sentença vão fazer questão de pôr seus nomes numa placa comemorativa de tal feito. A história da destruição de Vila Real, pela mão dos mesmos responsáveis, é intemporal e a prova são todas as fotos antigas da cidade onde pode verificar o desaparecimento de edifícios monumentais que davam outro carisma à cidade. Não há, nem nunca houve, intenção de valorização e preservação da história local, e esta obra é a afirmação que nunca o património (construído e ambiental) será algum dia valorizado nesta cidade. O que interessa se existe uma candidatura na UNESCO para a classificação da Calçada Portuguesa como Património da Humanidade devido à expressão que esta construção têm em Portugal e no Mundo, se neste país a destroem??

    Gosto(14)Não Gosto(8)

Deixe Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.