Insónias

Deputados de “Aluguer” ?

gov gerin

” O projecto de lei foi uma iniciativa do Bloco de Esquerda mas foram 24 deputados do PSD – incluindo Passos Coelho – que tornaram possível que a gestação de substituição fosse aprovada. Teresa Leal Coelho é o rosto social-democrata dessa ponte com a esquerda. No fim da votação desta sexta feira, que aprovou as barrigas de aluguer em caso de doença, fez sinal de vitória com o polegar para Catarina Martins. A líder do Bloco cruzou o hemiciclo para lhe dar um beijinho.” (Expresso)

Lembro-me, sem especial dificuldade, das palavras de Passos Coelho após a geringonça assumir o poder dizendo que no dia em que o governo do PS precisasse do apoio parlamentar do PSD teria de pedir desculpa aos portugueses e apresentar a sua demissão!

A realidade não tem sido essa.

E já por três vezes, pelo menos, o PSD deu a mão ao governo e ao PS.

No “caso Banif”, na redução das contribuições sobre pensões elevadas e agora nas “barrigas de aluguer”.

Se os anteriores são um incumprimento do afirmado, e só por isso já chocam,este último caso é particularmente chocante porque se trata de um assunto sem especial relevância nem qualquer importância para os problemas que afectam Portugal e os portugueses.

Todos já percebemos a estratégia:

Quando há más noticias da economia, quando os desentendimentos na geringonça ameaçam vir ao de cima, quando as fragilidades do governo se tornam por demais evidentes a manobra passa sempre por umas “causas fracturantes” levadas ao Parlamento pela força liderante da maioria -o Bloco de Esquerda- para distrair as atenções do essencial.

Direitos de gays e lésbicas, casamento de homossexuais, co-adopção, adopção por casais gay, eutanásia e agora as barrigas de aluguer tudo serve para desviar atenções do que é essencial.

E, normalmente dentro da anormalidade que é este governo, os votos da esquerda chegam para aprovar essas leis “fracturantes” sempre com o adorno folclórico de uns deputados do PSD que se acham mais progressistas, mais evoluídos e mais cultos (acham eles)que os restantes colegas de bancada.

O que pensa o partido sobre isso e essencialmente o que pensam os eleitores que os levaram para S.Bento sobre essas leis e sobre os seus votos nelas parece importar muito pouco.

O afago ao ego de votarem em “liberdade de consciência” supera tudo o resto!

Neste caso das “barrigas de aluguer” é que a coisa fiou mais fino.

Porque ao natural voto contra do CDS juntou-se o PCP e o voto folclórico de adorno passou a ser voto decisivo para a aprovação de tão “importante” lei pela qual o país suspirava ansioso.

E assim foi.

24 dos 89 deputados do PSD juntaram-se a PS , BE, PAN, PEV e aprovaram a lei das “barrigas de aluguer” enquanto 65 deputados do PSD , PCP, CDS e dois deputados do PS votaram contra registando-se ainda três abstenções de deputados do PSD (um grupo parlamentar verdadeiramente multifacetado…)  naquela que terá sido das mais estranhas votações desta legislatura.

E assim com o voto desses 24 progressistas deputados do PSD a lei passou e a geringonça foi poupada a uma derrota parlamentar.

Resta dizer que o PSD deu liberdade de voto mas a orientação do partido era o voto contra  e entre os deputados que votaram contra a orientação do partido estava o próprio…Pedro Passos Coelho.

Mais uma originalidade dos tempos que correm esta do líder votar contra a orientação do próprio partido!

Que concluir de tudo isto?

Que na verdade, para além dos méritos e deméritos da sua governação, a geringonça vai-se habituando a que quando é preciso há sempre uns deputados de “aluguer” para viabilizar as leis que dividem os partidos que sustentam o governo.

Triste mas é verdade.

E por isso o caminho das “pedras” para o PSD ameaça ser muito mais longo do que aquilo que alguns optimisticamente pensavam meses atrás.

Basta ver as sondagens…

P.S. Os “polegares vitoriosos” de Teresa Leal Coelho e os beijinhos de Catarina Martins fazem parte de um lixo político que me recuso a comentar.

Direi apenas que para “cavalo de Troia” das esquerdas no PSD já bastava Pacheco Pereira.

Com a vantagem de ser muito mais inteligente e muito mais culto que essa senhora que passou de vice presidente de Vale e Azevedo no Benfica para vice presidente de Passos Coelho no PSD!

Gosto(2)Não Gosto(0)