O Google Maps é mesmo um problema. Apanha mentiras com facilidade.

Penso que as pessoas se devem manifestar quando pensam que algo de errado está a ser feito. Não tenho nenhuma simpatia pelo Movimento Defesa da Escola Ponto, que confesso estar a provocar imenso ruído, a confundir e a atrasar o necessário debate sobre Educação. Mas têm esse direito e respeito o que resolveram fazer.

Ontem ouvi de passagem numa rádio que o Movimento Defesa da Escola Ponto tinha colocado 40.000 pessoas em Lisboa: sabendo que isso são números anunciados pela organização, imaginei que o real andaria por metade. De imediato achei estranho porque, atendendo à determinação que os líderes do movimento demonstravam, esperava muito mais.

De facto, fazendo fé nos dados sobre escolas com contrato de associação revelados pela CNE, existem 45.633 alunos abrangidos por esses contratos. Que universo de pessoas isso significa? Ora, se cada aluno mobilizar 3 pessoas em média (pai, mãe e um irmão, por exemplo) isso significa qualquer coisa na ordem de 4*45.633 = 182.532 pessoas. Se a isso juntarmos os professores, pessoal auxiliar e administrativo, etc., o universo de possíveis interessados na manifestação de Lisboa seria +/- 200.000 pessoas, ou talvez um pouco mais. Isto significa que em Lisboa teriam estado, a confiar nos números apresentados, +/- 10% (tendo por base a minha estimativa descontando os exageros normais de quem organiza) ou +/- 20% (confiando no número da organização) do universo de pessoas envolvidas por contratos de associação. Pareceu-me logo na altura algo estranho, por escasso.

Mas hoje, em viagem, e porque estava intrigado com o facto de a malta do Movimento Defesa da Escola Ponto não gostar do Google Maps, fui ao Google e verifiquei a área em frente à AR – Assembleia da República. Usei o espaço todo que aparece nas fotos do Movimento Defesa da Escola Ponto.

Screen Shot 2016-05-30 at 15.27.16

E o que é que obtenho? Cerca de 4.000 m2 de área. Ora, olhando para as fotos, podemos estimar que estariam 2 pessoas por m2. Isso daria 8.000 pessoas na manifestação. Mas, sem medo e abrindo a boca, vamos admitir que estavam 4 pessoas por m2. As fotos não evidenciam isso, mas vamos admitir esse número.

13339475_10208341914019727_6811496234866784612_n

 

Admitindo – sem conceder, como se diz em linguagem jurídica – uma densidade de 4 pessoas por m2, isso resultaria numa mobilização de qualquer coisa na ordem das 16.000 pessoas. Em qualquer dos casos muito longe das 40.000 pessoas anunciadas pela organização. Na verdade, o número correto deve estar entre 8.000 e 16.000. Façamos a média: 12.000 pessoas. Para onde foram as outras 28.000 pessoas que a organização da manifestação jura que estiveram em Lisboa?

Percebo agora por que razão o referido movimento não gosta do Google Maps. Ele é como o algodão… não engana, nem deixa enganar.

🙂

Gosto(241)Não Gosto(13)

54 Comments

  1. Manifestar uma opinião é um direito que reconheço e respeito. Fazê-lo, com recurso à mentira, fere o direito e, não merecendo respeito, deve implicar censura ou punição.

    Gosto(18)Não Gosto(18)
  2. Com umas marcações nas imagens ficava melhor.
    https://aventar.eu/2016/05/29/manifestacao-dos-amarelos-teve-no-maximo-12-mil-participantes

    Gosto(11)Não Gosto(2)
  3. Há manifestações que não entendo. Esse manifestantes acham que era melhor cortar no meu salário (como fez o governo anterior) para depois dar às escolas dos filhos dos ricos? É que não é uma questão de opinião: foi roubo mesmo. E por isso não tenho o mínimo respeito.
    Quanto à comunicação social de Direita e amiga destes manifestantes, concedeu-lhes 20 minutos de reportagem (em 1ª noticia) nos telejornais principais. Quando se trata duma manifestação da CGTP 1 minuto no fim do telejornal deve ser muito tempo. A ver quanto tempo vão dar à manifestação pela Escola pública de dia 18 de Junho...

    Faz falta um novo 25 de Abril...

    Gosto(21)Não Gosto(4)
  4. "depois dar às escolas dos filhos dos ricos?"
    de onde vem essa conclusão ?

    Gosto(9)Não Gosto(3)
  5. o mesmo google diz que a praça do comercio tem 36.000 m2.

    será licito extrapolar que a praça comportará cerca de 72.000 manifestantes ?

    Gosto(3)Não Gosto(2)
    • 2 manifestantes por metro quadrado é bastante aceitável, portanto, sim pode-se extrapolar esse valor.

      Gosto(1)Não Gosto(0)
      • parece-me manifestante exagerado o valor que a CGTP disse ter juntado em 2012 na praça do comércio; mais de 200.000 pessoas

        Gosto(4)Não Gosto(1)
  6. Tanto minion junto... ter os filhinhos em colégios privados com o dinheiro de quem trabalha arduamente para conseguir aguentar os custos dos seus filhos numa escola pública é que não! Quer ter os filhos em colégio privado? Então pague do seu bolso! Pouco mais também quero escolher o meu hospital privado ao invês do público e já agora um porche ao invés do autocarro da carris! Cambada de betinhos!

    Gosto(19)Não Gosto(2)
  7. 1) Não estou de acordo com esta manifestação e aceito a análise.
    Mas porque se aplicarem a mesma a todas as "boas" manifestações vão chegar à conclusão de que os números oficiais das manifestações são sempre multiplicados por três e quatro vezes...
    Portanto obrigado pela informação mas sem comparação só traz fumo..
    ou é esse o objectivo?

    Gosto(5)Não Gosto(4)
  8. Visto que todos nós temos direito a uma opinião, aqui vai a minha opinião:
    Primeiro que tudo, o que significa privado no caso de "escolas privadas"?
    Resposta, mais adequada para esta pergunta:
    Sector de uma actividade que não está subordinada ao Estado, que não pertence ao Estado.

    Se não é do Estado, logo tem que ter uma estratégia rentável de modo a ser sustentável, tal como milhares de empresas que todos os dias lutam pela sua sobrevivência e que pagam impostos todos os meses, e não recebem qualquer ajuda por parte do Estado.

    Já imaginaram se o Estado começasse a injectar dinheiro em todas as empresas do pais sem qualquer execpção?
    Seria um autentico caos e os impostos duplicavam ou mesmo triplicavam, porque era impossível aguentar-se com tal despesa.

    O problema de Portugal é mesmo este, é o facto do Estado ter que suportar tudo e mais alguma coisa, mas esquecem-se que a população está em decréscimo e as despesas do Estado sobem por causa de muito más decisões (isto para não falar em corrupção)... logo se existem menos pessoas a pagar impostos, tem-se que fazer algo para combater a falta de dinheiro nos cofres dos Estado... solução subida de impostos e taxinhas e paga povo.
    O povo fica sem dinheiro, as empresas não vendem tanto quanto deviam e algumas são obrigadas a fechar.

    Isto das escolas privadas, na minha opinião é uma autêntica palhaçada, e é uma vergonha para a imagem de Portugal no estrangeiro.
    Então... mas é privado e o Estado é que tem de injectar dinheiro para estas escolas, quando existem inúmeras escolas publicas que nem sequer têm condições para os alunos?

    É por isto e por muito mais que Portugal, anda sempre na cauda da Europa... estamos sempre á espera que o Estado assume tudo, mas atitude para lutar por uma vida melhor, poucos o fazem... depois queixam-se dos impostos que temos.

    Gosto(17)Não Gosto(0)
  9. Não querendo comentar os números ou a causa.... O Google maps não funciona em tempo real.... por questões de segurança nacional...

    Gosto(0)Não Gosto(2)
  10. Anónimo, o Google Maps pode não funcionar em tempo real mas desconfio que a AR também não se moveu nem as estradas e passeios alargaram ou encurtaram, pelo que não há muito a discutir nos números para além da quantidade de pessoas que se podem colocar num metro quadrado..

    Gosto(4)Não Gosto(0)
  11. Podem não ter estado 40.000 mas esta avaliação por fotos é patética. A área desenhada também não corresponde totalmente à realidade, pois eu sei de amigos que estiveram lá e já me confirmaram que estavam um pouco mais abaixo na Av. Dom Carlos I. Obviamente que aceito que "um pouco mais abaixo" não é o suficiente para aumentar drasticamente estes números mas convém alertar os mais desatentos que, assim como as organizações, sindicatos, etc, puxam sempre os nº para cima, também há o inverso, isto é, quem puxa os nº para baixo.

    Mais... eu estive lá sempre no mesmo local (na escadaria) e houve grupos que foram saíndo e dando lugar a outros, nomeadamente, os que tinham fretado um comboio e tinham um horário a cumprir, enquanto os que estavam de autocarro só saíram no final. Por isso é que afirmei que a avaliação pelas fotos é patética.

    Mas, independentemente dos números aqui apresentados, há uma questão estranha aqui... porquê colocar a dúvida dos números nesta manifestação e não o fazer em outras?

    Gosto(1)Não Gosto(1)
  12. Pingback: bodys para mujer

Deixe Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.