Toda a verdade sobre o salário da mulher do presidente da Câmara de Gaia

Em primeiro lugar começo por fazer uma prévia declaração de interesses. Fui premiado, pelo presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, através de e-mail, no passado dia 2 de Novembro, com a informação que me teria interposto um processo judicial no seguimento de um artigo que escrevi sobre a atribuição da medalha de mérito municipal – grau ouro – a Marco António Costa.

Depois deste ponto prévio. Vamos agora ao que interessa. A polémica volta acompanhar Eduardo Vítor Rodrigues. A notícia chegou-nos, ontem, através do Jornal Público. Neste caso o que está em causa, entre outras coisas, é o aumento exponencial do salário da sua mulher, Elisa Costa, directora técnica da Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior.

O que aqui se trata, neste momento, é de uma questão ética, moral e política. As questões legais e administrativas deixemos para serem tratadas pelos tribunais.

Não existem dúvidas que a Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior é um dos parceiros da Câmara Municipal de Gaia no programa Gai@aprende+. Aliás é próprio presidente da Câmara que o assume publicamente. Mais ainda a SOL MAIOR é o principal parceiro da Autarquia neste programa municipal. E não é parceiro por mero acaso. É parceiro ao abrigo de um protocolo de colaboração assinado entre a Câmara Municipal de Gaia e a SOL MAIOR.

Também penso que não existem dúvidas que a Câmara Municipal de Gaia, com base na assinatura deste protocolo de colaboração, proporcionou à SOL MAIOR entrar num “negócio” que rende anualmente centenas de milhares de euros, através das mensalidades do ATL pagas pelos Pais, a esta IPSS. Mas também parece que não existem dúvidas que a Câmara de Gaia tendo por base o supracitado protocolo, paga anualmente à SOL MAIOR largas dezenas de milhares euros no âmbito do Gai@aprende+. Aliás parece-me que está tudo espelhado no relatório de actividades e contas da SOL MAIOR referente ao ano de 2015.

Até agora parece-me que não existem dúvidas. Porém se assim não for serei o primeiro a reconhecer o meu erro em função de pesquisas que fiz na internet durante esta tarde.

Mas há dúvidas que existem e persistem, sobretudo, na evolução dos vários e exponenciais aumentos do salário base que Elisa Costa tem vindo a auferir ao longo dos últimos anos, sobretudo, desde que Eduardo Vitor Rodrigues foi eleito presidente da Câmara Municipal de Gaia, tendo proporcionado este negócio milionário à SOL MAIOR, ao abrigo do acima referido acordo de colaboração, acrescido do também citado apoio da Câmara Municipal de Gaia.

Eduardo Vitor Rodrigues até publicou a sua declaração de rendimentos a que estão sujeitos os titulares de cargos políticos porém, nos dias de ontem e hoje, negou que o salário da mulher era de 2343,71 euros afirmando ainda hoje ao Jornal de Notícias que a mulher e passo a citar “fez a sua progressão até chegar aos atuais 1180 euros, que incluem a isenção de horário e o descongelamento de salário. Os mais de dois mil euros foram em agosto, pela acumulação com o subsídio de férias ”.

Eduardo Vitor Rodrigues não tornou públicos os recibos de vencimentos da sua mulher preferindo falar que estava a ser alvo de uma campanha negra, vitimizando-se e ameaçando mais uma vez com processos judiciais. Não teria sido mais simples, mas sobretudo muito mais transparente, Eduardo Vitor Rodrigues ou a sua mulher, Elisa Costa, tornarem públicos os últimos recibos de vencimento? Penso que sim. Optou ou optaram por outro caminho. E as nossas opções de vida obviamente que têm depois os seus custos.

Após ter lido as mais surreais explicações para os aumentos do salário de Elisa Costa entendo que é meu dever cívico divulgar um documento que me chegou e onde consta a evolução das remunerações base da mulher do presidente da Câmara de Gaia, ao longo dos últimos anos.

Estou convicto que neste documento os valores que constam do mesmo são verdadeiros. Não quero acreditar que alguém de muito mau caracter fosse capaz de me fazer chegar um documento com valores falsos, com o intuito de atingir a honorabilidade do presidente da Câmara de Gaia e da sua mulher. Se, porventura os valores mencionados no documento acima forem falsos, agradeço que os visados – Eduardo Vitor Rodrigues e Elisa Costa – me façam chegar os devidos comprovativos que imediatamente publicarei um novo texto corrigindo este meu artigo de opinião.

Estes aumentos exponencias parecem-me ainda mais imorais atendendo a que ocorreram em tempos em que os portugueses viveram tempos muito difíceis, tendo visto os seus salários durante cortados.

Nada me move de pessoal contra ninguém. Foi assim no passado, é assim no presente e será assim no futuro. Estou nesta vida na defesa de princípios, valores e causas, pugnando sempre pela verdade, transparência e pela moralização da vida pública.

Também em nome desta transparência e da verdade quero tornar público que solicitei esta tarde ao Sr. Ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Dr. José Vieira da Silva, uma auditoria ao funcionamento e às contas dos últimos cinco anos de actividade da Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior CRL solicitando ainda que deveria ser uma prática corrente do Ministério efectuar regularmente auditorias ao funcionamento e às contas das Instituições Particulares de Solidariedade Social atendendo a que estas funcionam na sua maioria com apoios financeiros públicos.

Espero com este meu artigo de opinião ter contribuído para a verdade e para a moralização da vida pública. Estou convicto que sim.

Gosto(287)Não Gosto(23)