As cinco faces da direita

images

  1. Negação (noite de 4 de outubro até 26 de novembro, 2015): o resultado obtido a 4 de outubro foi uma vitória. Sim, perdemos 700 mil votos e 25 deputados. Sim, é um dos piores resultados da direita desde 1976. Sim, é a primeira vez que o PSD e o CDS concorrem juntos sem obter uma maioria absoluta (como em 1979 e 1980). Mas temos mais votos que o PS. Vamos governar. Existem convenções constitucionais que forçam o PS a viabilizar o nosso governo (apesar de nunca o PS ter viabilizado um governo minoritário do PSD). O PS bom vai ajudar-nos (Francisco Assis e Sérgio Sousa Pinto são a nossa referência no PS) e viabilizará o XX Governo. O Presidente da República é o nosso homem e jamais dará posse a um governo com apoio dos comunistas e dos bloquistas. Eles nunca chegarão a qualquer acordo.
  1. Raiva (26 de novembro ao Verão, 2016): o XXI Governo roubou a legislatura. Não vai durar. Vem aí a maior catástrofe económica do século. O OE16 não passa. A UE não deixa passar o OE16. Os mercados vão rebentar com a dívida. O OE17 não passa. A UE não deixa passar o OE17. O cataclismo aproxima-se. Tudo correrá mal a este governo.
  1. Negociação com a realidade (Verão, 2016): isto está para durar, mas a culpa é da oligarquia que apoia o PS, da comunicação social que tudo branqueia, dos sindicatos que não mobilizam as greves para atrapalhar o governo, dos idiotas úteis que afastam os 700 mil eleitores em vez de aceitarem naturalmente que nós somos a única alternativa responsável, das sondagens que são todas falsas. A austeridade continua, mas os eleitores são tão burros que por um punhado de euros (porque as devoluções de rendimento são ridículas) votam no PS. Mas quando os eleitores perceberem o que aconteceu, eles voltarão para nós arrependidos. Quando o XXI Governo terminar, voltaremos a ter uma grande maioria.
  1. Depressão (Outono, 2016): não só isto pode durar toda a legislatura, como continuamos a perder votos nos Açores e nas sondagens. Provavelmente, teremos uma derrota nas autárquicas do próximo ano, mas uma derrota tolerável, normal. Nada de muito profundo (apesar do resultado de 2013 ter sido o pior desde 1976). Nada que ponha em causa a nossa estratégia e as nossas lideranças. O país não nos merece. O país é de esquerda. A classe média desistiu e entregou os pontos à esquerda. A UE traiu-nos e afinal tolera a pouca vergonha deste governo. Os mercados financeiros satisfazem-se com o BCE e afinal não vão rebentar com este governo.
  1.  Aceitação (talvez em 2017): ou mudamos de vida, e muito, ou vamos estar na oposição muitos anos.

 

Gosto(13)Não Gosto(2)

A oposição “photoshop”

foto@sabado

foto@sabado

Hoje numa entrevista ao Diário  de Notícias a líder do CDS, Assunção Cristas, diz que “pior que este orçamento seria não termos nenhum”.

Mas que oposição é esta? Estamos perante o vazio total. Sem ideias. Sem propostas alternativas. Completamente desprovida de conteúdo.

Isto é uma oposição “photoshop”. Um mix “Cinha Jardim/ Portugal Fashion”.

Por isso governar o País continua a ser um passeio para Antonio Costa e para a sua “geringonça”.

A política está a tornar-se num absoluto  “lifestyle”. Parece-me que um dia isto pode acabar mal!

Gosto(14)Não Gosto(2)

O Sol vai pagar imposto.

a

A nova fórmula que o Governo pretende instituir para cálculo do IMI, para além de anedótica, é uma absoluta contradição.

O Estado concede apoios àqueles que apostam na melhoria da eficiência energética e depois penaliza os imóveis com melhor exposição solar.

Isto só pode estar a acontecer porque quem está nos gabinestes ministeriais não tem a mínima noção do que está a fazer.

Sempre pensei que quando o Sol nascia era para todos mas até nisto a geringonça muda o paradigma.

(Ler Mais…)

Gosto(21)Não Gosto(1)

OS MILAGRES DA GERINGONÇA!!!

centeno

Todos os meses vou ao Hospital levantar um medicamento, que apenas é fornecidos aos doentes integrados num programa de tratamento, que têm de o levantar nos serviços farmacêuticos de alguns hospitais, no meu caso no Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

É fornecida aos doentes uma embalagem, composta por duas doses, que porque administrado quinzenalmente obriga a deslocações mensais.

As deslocações têm que ser exclusivas pois tratando-se de um medicamento refrigerado tem que ser transportado em mala térmica no meio de acumuladores térmicos gelados, para garantir a manutenção da cadeia de frio.

Desde que a “geringonça” tomou posse já aconteceram duas roturas de stock, o que obriga os serviços a ratear o medicamento, abrindo as embalagens e fornecendo a cada doente apenas 1 em vez de 2 doses, passando as deslocações a quinzenais em vez de mensais.

A mim, que sou um privilegiado, por cada vez que isso acontece, são mais cerca de 40 Km (ida e volta), mas hoje, o doente que estava à minha frente veio propositadamente de Portalegre!!!

A informação dos serviços é que estas “roturas” se devem a faltas de pagamento ao laboratório fornecedor.

Aos que, suportados em lindos gráficos, anunciam, tal arautos da boa nova, os milagres da “geringonça”, nomeadamente a excelente execução orçamental, aconselha-se uma descida à Terra, pois nada como um banho destas realidades para aclarar as ideias!

Gosto(6)Não Gosto(1)

PSD Fan Zone Euro 2016

foto@psd.pt

foto@psd.pt

O processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos tem marcado a atualidade nos últimos dias. Os últimos desenvolvimentos exigem explicações do Governo.  Margaret Thatcher, carregada de razão, dizia que ” não existe dinheiro público, existe apenas dinheiro pago pelos contribuintes “. É o nosso dinheiro que continua a sustentar a banca.  Por isso a geringonça tem a obrigação de explicar aos portugueses porque foram injectados na CGD mais de 7,5 mil milhões nos últimos cinco anos.

(Ler Mais…)

Gosto(8)Não Gosto(0)

Deputados de “Aluguer” ?

gov gerin

” O projecto de lei foi uma iniciativa do Bloco de Esquerda mas foram 24 deputados do PSD – incluindo Passos Coelho – que tornaram possível que a gestação de substituição fosse aprovada. Teresa Leal Coelho é o rosto social-democrata dessa ponte com a esquerda. No fim da votação desta sexta feira, que aprovou as barrigas de aluguer em caso de doença, fez sinal de vitória com o polegar para Catarina Martins. A líder do Bloco cruzou o hemiciclo para lhe dar um beijinho.” (Expresso)

Lembro-me, sem especial dificuldade, das palavras de Passos Coelho após a geringonça assumir o poder dizendo que no dia em que o governo do PS precisasse do apoio parlamentar do PSD teria de pedir desculpa aos portugueses e apresentar a sua demissão!

A realidade não tem sido essa.

(Ler Mais…)

Gosto(2)Não Gosto(0)

Cartão do Cidadão: a “ idiotice “ política do BE que custará aos portugueses 125 milhões de euros

foto@tvi24

foto@tvi24

O Bloco de Esquerda (BE) nasceu há cerca de 16 anos, após aproximação política do PSR, da UDP e do Movimento Política XXI, por sua vez, o Cartão do Cidadão (CC) nasceu há cerca de 10 anos, durante o governo de Sócrates em que um só documento passava a reunir o Bilhete de Identidade, o cartão do Contribuinte, o cartão de beneficiário da Segurança Social e o cartão de utente do Serviço Nacional de Saúde.

O CC passou a vir equipado com um chip capaz de guardar dados pessoais cifrados de modo a garantir a privacidade e o nível de segurança dos cartões de identificação dos portugueses, de forma a dificultar eventuais reproduções ou falsificações dos mesmos para fins ilícitos ou criminosos.

Esta foi, sem dúvida, uma das boas medidas do Governo Sócrates que veio simplificar a vida aos portugueses.

Ontem o BE apresentou um projecto de resolução na Assembleia da República para mudar a designação do Cartão do Cidadão para Cartão da Cidadania tendo por base a justificação que a actual denominação do documento de identificação “não respeita a identidade de género de mais de metade da população portuguesa”.

(Ler Mais…)

Gosto(7)Não Gosto(0)