Raríssimas ou talvez nem tanto

As Instituições Particulares de Solidariedade Social desenvolvem as suas actividades com dinheiros públicos, nomeadamente através de subsídios do Ministério da Segurança Social e das Autarquias.

Entendo que deveria ser uma prática corrente da tutela auditar regularmente o funcionamento e as contas destas Instituições.

No dia 28 de Dezembro de 2016, entendi que deveria solicitar ao Sr. Ministro da Segurança Social, José Vieira da Silva, uma auditoria às contas e ao funcionamento da Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior na sequência de uma notícia do PÚBLICO que envolvia as relações desta IPSS, alguns assessores e autarcas da Câmara de Vila Nova de Gaia, nomeadamente o seu presidente, Eduardo Vítor Rodrigues e a sua mulher, Elisa Costa. 

O resultado chega agora. Ontem o OBSERVADOR noticia que os resultados do processo de investigação aberto pelo Departamento de Fiscalização do Instituto da Segurança Social, que incluiu uma auditoria financeira, foram enviados ao Ministério Público. Perante estas conclusões agora deveremos aguardar pelas medidas que, neste caso, vai adoptar o Ministério da Segurança Social e pelo trabalho do Ministério Público.

Depois falamos!

Gosto(18)Não Gosto(4)

Deixe Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *