Pára, Papá!…

no jardim 6

 

Porque hoje é o Dia Mundial da Poesia, volto a publicar um Poema da minha autoria, que escrevi um dia, sem data, porque as datas só são importantes para as vítimas.

Faço-o, uma vez mais, como um ato de denúncia e uma homenagem a todas as crianças, sem rosto mas com memória, alvo de abuso sexual em contexto familiar.

É um texto duro mas real, infelizmente, como reais são todos os momentos para estas crianças…

Oh Papá…

Estás triste?

Não?

Está bem, eu sento-me ao teu colo.

Gosto muito que me dês beijinhos…és o meu Papá lindo, és o meu Papá querido.

Cheiras a vinho, Papá…

Os teus olhos estão tão vermelhos, Papá…

Porque estás a respirar tão depressa, Papá?

Não!

Não me tires a minha boneca, Papá!

Porque estás a atirá-la para o chão, Papá?

Assim ela vai ficar sozinha…

Vai ficar triste…

Assim ela vai chorar, Papá.

Olha para ela a olhar para nós, Papá, com a saia torta e toda amarrotada…

O que estás a fazer, Papá?

Está quieto!

Não mexas aí!

Está quieto, Papá…

O que estás a fazer?

Não me apertes assim tanto, Papá, fico com falta de ar…

Oh Papá…o que estás a fazer?

Porque estás a fazer isso, Papá?

Porque estás aí com a mão, Papá?

Mas isso não se faz!

Isso é feio!

Isso é pecado!

Ai…

Não!

Não quero!

Oh Papá, onde está a Mamã?

Eu quero a minha Mamã…

Oh Papá, pára com isso!

Tira a mão debaixo da minha saia!

Não!

Não mexas aí…

Está quieto, Papá!

Não faças isso, Papá, que isso dói!

Claro que gosto de ti…tu és o meu Papá!

Se eu gostasse de ti deixava?

Se eu gostasse de ti deixava que tu mexesses aí?

Porquê, Papá?

Porque estás nervoso, Papá?

Porque estás a tremer, Papá?

O que é isso , Papá?

Eu sei que sou a tua menina…

Sim, eu sei que gostas de mim…

Sim, eu sei que tu me adoras…

Mas porque estás a fazer isso comigo, Papá?

Eu portei-me mal, Papá?

Eu fiz alguma asneira, Papá?

Oh Papá, mas isso é o que tu fazes com a Mamã…

Oh papá, eu não quero que tu faças isso, papá!

Pára, papá!

Estás a magoar-me, papá!

Está-me a doer muito, papá…

Que foi, papá?

Não papá, não conto a ninguém.

Sim papá, eu adoro-te!

Mas porque é que me queres fazer isso, papá?

Eu não sou má menina!

Eu porto-me bem, papá.

Está bem papá, eu estou quieta, muito quietinha…

Ai…..

Ai, papá, está-me a doer.

Pára, papá!!!!

papá…

Dói…

Dói, papá!

papá!!!!

Está a deitar sangue!

papá!

Onde vais, papá?

Porque me deixas aqui sozinha, papá?

Já não gostas mais de mim, papá?

Mas eu chorei, papá, porque me estava a doer muito, papá…

papá…

Estava a doer, estava, papá!

Olha!

Até está a deitar sangue, papá…

Onde estás tu, papá?

Oh papá, volta, papá…

Já não sou a tua menina, papá?

Eu prometo que não choro mais, papá!

Eu prometo que me porto bem, papá!

Eu prometo que me calo, papá!

Eu prometo que fico quietinha, papá?

Volta, papá…

A boneca está triste, papá, e eu também estou, papá.

Eu sei que fui má menina, papá.

Desculpa, papá!

Eu não volto a ser mais má para ti, papá!

Tu ainda gostas de mim, papá?

Oh papá…

Oh papá, onde estás?

papá!

papá!

papá!…

 

Manuel Damas

 

( A imagem é da autoria da Teresa Verdier )

 

Gosto(2)Não Gosto(1)