Os votos dos portuenses não têm dono

Hoje tenho lido muitas opiniões sobre o fim do casamento entre Rui Moreira e o PS. Mas também sobre o desfecho das próximas eleições Autárquicas no Porto.

Eu confesso que não arrisco qualquer prognóstico. Neste momento penso que o resultado está em aberto. As razões que levaram à supreendente vitória de Rui Moreira em 2013 poderão ser as mesmas que podem conduzir a uma derrota do actual presidente da Câmara nas próximas Autárquicas.

A arrogância em política costuma pagar-se cara. E Rui Moreira foi arrogante, prepotente e ingrato com o PS que lhe foi sempre leal e lhe permitiu governar com maioria absoluta a Câmara do Porto.

O problema que levou à ruptura política nada teve a ver com Manuel Pizarro e com o PS da cidade do Porto mas sim com a número dois do Partido Socialista. Este não era um problema do Porto com o Porto. As declarações de Ana Catarina Mendes foram feitas numa conjuntura política de âmbito nacional.

Parece-me que Rui Moreira misturou os interesses do Porto com os seus interesses pessoais. Ainda ontem Moreira afirmava que Pizarro era um dos melhores e um projecto político de uma cidade não pode dispensar os melhores.

Neste caso penso que Moreira precipitou-se e acabou capturado por si próprio.

Ninguém tem dúvidas que Rui Moreira foi o responsável pelo fim da “Geringonça Portuense”.

O actual presidente da Câmara do Porto sabe melhor que ninguém que os votos dos portuenses não têm dono.

Vamos ver como Pizarro e o PS saberão capitalizar este erro político de Rui Moreira. E como Rui Moreira conseguirá ultrapassar esta dificuldade criada pelo próprio.

Hoje também se abre uma janela de oportunidade para Álvaro Almeida e para o PSD.

Uma coisa estou convicto. Hoje terminou o passeio político de Rui Moreira.

Gosto(36)Não Gosto(9)