Câmara de Gaia entrega medalha de mérito a Marco António

mac_evr

Não, não é dia 1 de Abril, nem é uma notícia do Inimigo Público.

Na passada sexta-feira fui assistir a uma palestra do Dr. Rui Rio, sobre Regionalização, no Auditório Municipal de Gaia, quando no final fui, surpreendido, com a entrega de várias medalhas municipais, sendo que o último condecorado foi Marco António Costa.

Tenho que confessar que fiquei estupefacto ao ver o presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, entregar a medalha de mérito profissional ao antigo vice-presidente da Câmara de Gaia que teve a responsabilidade do pelouro Financeiro, entre 2005 e 2011.

mac_condecoração_gaia

Está ainda bem presente na memória de todos que o actual vice-presidente do PSD, Marco António Costa, foi alvo de 10 juízos de censura na sequência da auditoria efectuada pelo Tribunal de Contas às contas da Câmara Municipal de Gaia.

O relatório final da auditoria do Tribunal de Contas (TdC) é muito claro quando responsabilizou o responsável à data pelo pelouro Financeiro, Marco António Costa, pela ” gestão orçamental desequilibrada, caracterizada pela completa ausência de sinceridade e fiabilidade na previsão de receitas, de racionalidade e prudência na efetivação dos gastos” referindo que o município ” concretizou operações extraordinárias que foram concebidas para tornear as limitações impostas pelas normas legais aplicáveis em matéria de endividamento, colocando em causa a situação financeira da autarquia no médio/longo prazo”.
Mas a censura do TdC não ficou por aqui. Marco António Costa foi ainda censurado pelos acordos de regularização de dívidas, pelo fundo de investimento imobiliário Gaia Douro, pela provisão de riscos e sobreavaliação de ativos, entre outros actos de gestão analisados.
Nos últimos 30 meses o discurso quase diário do presidente da Câmara de Gaia incidiu sobre a dívida que tinha recebido da anterior gestão autárquica.

O que poderá ter levado Eduardo Vítor Rodrigues a condecorar Marco António Costa? Como é possível usar como principal bandeira de um mandato a dívida municipal e depois condecorar com uma medalha de mérito um dos principais responsáveis pela mesma dívida? Mas muitas mais questões se poderiam colocar perante esta enigmática decisão.

Estranhei realmente que o Auditório Municipal tivesse muitos lugares vagos, mas agora talvez se percebam as ausências do Presidente da Assembleia Municipal de Gaia, Albino Almeida, do vereador socialista, Delfim Sousa e dos vereadores do ” Movimento Juntos Por Gaia “, Guilherme Aguiar, Maria Cândida Oliveira e Valentim, que viabilizaram a governação da autarquia, em coligação com o PS,  bem como de diversos presidentes de junta socialistas, mas sobretudo dos gaienses.

Esta decisão de Eduardo Vítor Rodrigues condecorar Marco António Costa poderá ter fracturado indubitavelmente o PS Gaia, bem como poderá ter colocado em causa a continuidade da coligação com o movimento independente liderado por José Guilherme Aguiar.

A partir do momento em que Eduardo Vitor Rodrigues ” premiou ” Marco António Costa com uma medalha de mérito não tem mais argumentos para falar da dívida da autarquia. Ou será que este acto é o reconhecimento que afinal a dívida não era tão má como ” pregou aos quatro ventos ” durante mais de dois e meio de mandato?

Uma coisa é certa, esta decisão do presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vitor Rodrigues, abre agora uma autoestrada para o PSD iniciar uma caminhada rumo à reconquista da Câmara Municipal. Estou convicto que se o presidente do PSD de Gaia, Cancela Moura, souber e tiver a capacidade para aproveitar esta oportunidade política, servida em bandeja de ouro por Eduardo Vítor Rodrigues, poderá conseguir convencer Paulo Rangel a ser o candidato do PSD à Câmara Municipal de Gaia. E a partir daí, em Gaia, o jogo político muda de figura e outro galo cantará!

 

Gosto(32)Não Gosto(6)