A ética e o rigor no jornalismo começa a ser raro… VAI UMA APOSTA?

A recente situação do caso das apostas ou aposta, num jogo da Liga NOS, pôs a nú um fenómeno cada vez mais presente e preocupante na realidade social e, mais precisamente, na comunicação social. O alarmismo é avesso à ética e ao rigor.

Não o refiro porque me diz respeito, pelo cargo que ocupo num dos Cubes visados, nem tão pouco por necessitar de defender a honra. A consciência tranquila não se “compra” em textos, conquista-se em actos.

Já muitos se aperceberam que as redes sociais se tornam, cada vez mais, um tribunal rápido (e pouco assertivo) em ditar sentenças e julgar pessoas. Mas, também no jornalismo se vive uma autêntica revolução e que não se compadece dos bons costumes. Seria um assunto, não para uma crónica, mas até para uma dissertação académica. (Ler Mais…)

Gosto(48)Não Gosto(0)

O MEU VIZINHO DO 5º C É TERRORISTA?

A pergunta é retórica, mas, curiosamente poderá tornar-se mais habitual ou trivial do que imaginamos. Terei algum terrorista na minha rua?

Da Cimeira dos chefes de Estado de governo de sete países do sul da Europa surge o propósito e o desejo de uma Europa mais cooperante e unida face à realidade (já não é fenómeno nenhum) do terrorismo ou do extremismo religioso. Transparece também o projeto do nosso líder do governo em fomentar uma política de proximidade antiterrorista atribuindo às autarquias um papel fundamental no desenvolvimento desta ideia, dada sua vocação de existência e de politica próxima da comunidade.

É o “primeiro” passo desde a criação da ENCT (Estratégia Nacional de Combate ao Terrorismo) e faz-me levantar a questão que escolhi para titulo: O MEU VIZINHO É TERRORISTA?

(Ler Mais…)

Gosto(23)Não Gosto(1)