A professora com que todos sonhamos

Conheci a Marisa Oliveira em 2011. Primeiro como mãe de um colega de turma da minha filha no Colégio de Nossa Senhora da Bonança (CNSB), em Gaia.

Aí descobri que era casada com o Zé Oliveira, amigo de vários amigos meus.

Rapidamente ficamos Amigos.

A Marisa e o Zé são gente boa, genuína e de um coração enorme.

Mais tarde conheci a Marisa na sua versão de professora de matemática.

E se já tinha uma grande admiração por ela enquanto mulher, mãe e amiga passei a admirá-la também como professora.

Falava com alegria, orgulho e com um brilhozinho nos olhos de todos os seus alunos e da instituição onde lecionava. Notava-se que amava o que fazia. Dar aulas de matemática era uma verdadeira paixão.

Muitas das nossas conversas eram sobre a paixão de ser professora. E não de uma disciplina qualquer. Logo da “maldita” matemática que a grande maioria dos alunos gostam de ver à distância. Diria mesmo que muitos fogem da matemática como o “diabo foge da cruz”. Que Deus me perdoe!

Nunca percebi muito bem isto porque fui sempre da área das ciências exactas apesar de mais tarde ter derivado para as ciências sociais, nomeadamente para a área da sociologia, onde o meu gosto pela matemática me valeu um 16 à cadeira de Estatística.

Mas voltemos à Marisa, ou melhor à “stôra” Marisa Oliveira, professora de matemática do CNSB. Sim, é exactamente a pessoa que o país ficou a conhecer o rosto, na passada quarta-feira, através das televisões e que um dia sonhou com construção do maior Pi humano do mundo. Só tu Amiga, sonhas com estas coisas estranhas!

 

Apenas há poucos dias percebi que 14 de Março não foi escolhido por acaso para superar este recorde do mundo porque confesso, de todo, que não imaginava que era o Dia Internacional de Pi, a constante matemática 3,14. Porém sabia que 14 de Março é o dia do nascimento de Albert Einstein e, a partir deste ano, infelizmente o da morte de uma das mentes mais brilhantes do mundo contemporâneo, o físico britânico Stephen Hawking, e que se junta também a esta dia a entrada do Colégio de Nossa Senhora da Bonança, de Gaia e de Portugal para o World Guinness Records com a construção do maior Pi humano do Mundo.

Esta será uma data histórica, mas a Marisa Oliveira é muito mais que um recorde do mundo.

A Marisa é uma professora de matemática de uma dedicação total aos seus alunos.

É uma professora interactiva e tecnológica. Vejam lá que até cria grupos no Messenger e no Whatsapp para em qualquer momento – e a isto temos que chamar-lhe uma professora online – tirar as dúvidas aos seus alunos e supervisionar as dicas que vão dando uns aos outros num espírito de cooperação mútuo.

Mas a Marisa é também uma professora modernaça e arrojada. Em meados do ano lectivo anterior fez o seguinte pacto com os seus alunos: se conseguissem uma média de 80% na avaliação externa da disciplina de matemática rapava o cabelo – uma sugestão dos alunos – que aceitou.

E não é que os miúdos superaram os 80% na prova de matemática, alcançando mesmo o segundo lugar a nível nacional, com uma média de 88%, e à Marisa não sobrou outro remédio senão rapar o seu rico cabelinho. Mais foram os alunos que tiveram o “prazer” de lhe cortarem os seus cabelos lindos – não fiques com ciúmes, Zé, sabes que é verdade.

Assim até deve ser divertido estudar matemática!

É claro que o sucesso da Marisa é fruto de muito trabalho. Apenas possível com uma dedicação total, um empenho excepcional, uma aposta na formação multidisciplinar constante, mantendo uma relação excelente e de proximidade com pais e alunos e contando com o apoio e o reconhecimento da direção do CNSB, nomeadamente da Madre Superiora, Ir. Cidália e do Director Pedagógico, Dr. Luís Caetano, que há cerca anos de quatro anos, com a sua gestão, deram um novo impulso a esta Instituição que conta com mais de 90 anos.

Há algum tempo que a Marisa merecia esta minha singela homenagem mas confesso que foi o feito alcançado na passada quarta-feira que me fez impor a mim mesmo não deixar terminar esta semana sem escrever este meu texto. Até por isso estes eventos são importantes para reconhecermos o mérito das pessoas que muitas vezes, por estarem tão próximas de nós, injustamente esquecemos.

Escrevemos tanto sobre o Cristiano Ronaldo, o José Mourinho, o Nelson Évora ou sobre o Professor Marcelo e esquecemos pessoas, como a Marisa, que cumpre cabalmente com a sua função de educadora e professora, e que também elevou bem alto o nome de Portugal.

Esta minha homenagem à minha querida amiga Marisa Oliveira – penso que posso tratar-te assim em público – é extensível a todos os excelentes educadores e professores que todos os dias dão o melhor de si em prol dos seus alunos e dos nossos filhos e que muitas vezes não veem o seu trabalho reconhecido pelo Ministério da Educação.

Parabéns, Marisa. Orgulho, muito orgulho em ser tua Amiga. Continua assim, sempre igual a ti própria.

E para que não fiquem dúvidas quero esclarecer que a Marisa não é a professora de matemática da minha filha!

Paulo Vieira da Silva

(Por decisão pessoal, o autor do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico)

Gosto(41)Não Gosto(5)